Caracterização climática de Cachoeira do Sul, RS quanto à temperatura do ar

  • Valeria POHLMANN Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Marcondes LAZZARI Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: agricultura, El Niño - Oscilação Sul, amplitude térmica

Resumo

As variações na temperatura do ar ocasionam consequências diretas na produção agrícola do Brasil, cuja economia é baseada neste setor em vários estados. O estudo pode auxiliar no planejamento agrícola a fim de aperfeiçoar este processo. O objetivo deste trabalho foi caracterizar a temperatura do ar para a região de Cachoeira do Sul no Rio Grande do Sul (RS). Utilizaram-se dados de 2007 a 2016 do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) da estação meteorológica A813 (Vaisala, MAWS 301; lat: -29º52’; long: -52º23’; alt: 107m). Calculou-se a temperatura média, mínima e máxima mensal e anual, além das temperaturas médias sazonais, temperaturas mínimas e máximas absolutas e a amplitude térmica. Foram analisados os anos com El Niño (2009/2010, 2014/2015 e 2015/2016) e La Niña (2007/2008, 2008/2009, 2010/2011 e 2011/2012). As médias da temperatura foram comparadas à Normal Climatológica 1961-1990. Verificou-se que a temperatura média anual foi de 19,1ºC (±0,5ºC), permanecendo próxima à normal. A temperatura média mínima apresentou aumento e a máxima, decréscimo. A temperatura em anos de La Niña apresentou redução, entretanto em anos de El Niño, não houve diferença. O conhecimento destas informações pode subsidiar o planejamento com relação à organização do agricultor, como o manejo do solo e a implantação bem-sucedida de novas culturas.

Biografia do Autor

Valeria POHLMANN, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Acadêmica de agronomia na Uergs Cachoeira do Sul. Experiência na área de agroclimatologia e fertilidade das plantas.

Marcondes LAZZARI, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Doutor em Fitotecnia (Agrometeorologia) (UFRGS).

Referências

ASSAD, E.; PINTO, H. S. Aquecimento global e a nova geografia da produção agrícola no Brasil. São Paulo: EMBRAPA/UNICAMP, 2008.

AYOADE, J. O. Introdução à Climatologia para os Trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

AZEVEDO, C.L.L. Produção integrada de citros - BA. 2 ed. Cruz das Almas: Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, 2007.

BERGAMASCHI, H. et al. Clima da Estação Experimental da Universidade Federal do Rrio Grande do Sul (e região de abrangência). Porto Alegre: UFRGS, 2003.

BERLATO, M. A.; ALTHAUS, D. Tendência observada da temperatura mínima e do número de dias de geada do Estado do Rio Grande do Sul. Pesquisa Agropecuária Gaúcha, Porto Alegre, v. 16, n. 1-2, p. 7-16. 2010.

BURIOL, G. A. et al. Análise das temperaturas mínimas diárias no município de Santa Maria-RS. I – Cálculo dos valores médios e da variabilidade, registro de valores extremos e comparação de periodicidade dessas temperaturas. In CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROMETEOROLOGIA, 5., 1987, Belém. Anais... O clima e o desenvolvimento rural brasileiro, Belém, 1987. p. 240-242.

BURIOL, G. A. et al. Disponibilidade de horas de frio na região central do rio grande do sul: 2 - distribuição geográfica. Ciência Rural, Santa Maria, v. 30, n. 5, p. 755-759, set./out. 2000.

CAMPOS, C. G. C. Padrões climáticos atuais e futuros de temperatura do ar na região sul do Brasil e seus impactos nos cultivos de pêssego e nectarina. 2010. Tese (Doutorado em Meteorologia) - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, 2010.

CAVALCANTI, E. P.; SILVA, V. P. R.; SOUZA, F. A. S. Programa computacional para a estimativa da temperatura do ar para a Região Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 10, n. 1, p. 140–147, jan./mar. 2006.

CUNHA, G. R. La Niña e a agricultura no sul do Brasil. 2003. Disponível em: <http://www.cnpt.embrapa.br/pesquisa/agromet/agromet/elninolanina/plantar.html>. Acesso em: 30 Dez. 2015.

DUARTE, L. A. et al. Alterações na temperatura do ar mediante telas nas laterais de ambientes protegidos cultivados com tomateiro. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 2, p. 148–153, fev. 2011.

FOLHES, M. T.; FISCH, G. Caracterização climática e estudo de tendências nas séries temporais de temperatura do ar e precipitação em Taubaté (SP). Revista Ambi-Água, Taubaté, v. 1, n. 1, p. 61-71, ago. 2006.

GLANTZ, M. H. Currents of Change: El Niño’s Impact on Climate and Society. Cambridge: University Press, 2000.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlag Justus Perthes, 1928.

HOCH, G.; KÖRNER, C. Growth and carbon relations of tree line forming conifers at constant vs. variable low temperatures. Journal of Ecology, Oxford, v. 97, p. 57-66, out. 2008.

INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE - IPCC. Climate Change 2007: The Physical Science Basis. Cambridge: University Press, 2007.

KUINCHTNER, A.; SIMÕES, J. C.; BURIOL, G. A. Variabilidade da temperatura do ar próximo à superfície no Planalto Meridional-Riograndense. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Piracicaba, v. 15, n. 3, p. 232-240. 2007.

LANDAU, E. C. et al. Tendências de variação da amplitude térmica no Brasil em função das mudanças climáticas. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CLIMATOLOGIA, 3., 2009, Canela. Anais... Mudanças de clima e extremos e avaliação de riscos futuros, planejamento e desenvolvimento sustentável, Canela: Sociedade Brasileira de Meteorologia, 2009.

LUO, Q. et al. Potential impact of climate change on wheat yield in South Australia. Agricultural and Forest Meteorology, v. 132, n. 3-4, p. 273-285, out. 2005.

MACHADO, F. P. Contribuição ao estudo do clima do Rio Grande do Sul. Rio de Janeiro: IBGE, 1950.

MACHADO, L. N. Estimativa dos impactos gerados pelas mudanças climáticas na potencialidade da cultura da videira europeia (Vitis vinifera L.) no Estado de Santa Catarina. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) – Faculdade de Agronomia, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina. 2009.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961.

ORGANIZAÇÃO METEOROLÓGICA MUNDIAL - OMM. Calculation of monthly and annual 30 - year standard normals. Geneva: WMO, 1989.

OCEANIC NIÑO INDEX - ONI. El Niño and La Niña Years and Intensities. Disponível em:<http://ggweather.com/enso/oni.htm>. Acesso em: 30 dez. 2017.

PRIVALSKY, V. E.; JENSEN, D. T. Assessment of the influence of ENSO on annual global temperature. Dynamics of Atmospheres and Oceans, Amsterdam, v. 22, n. 1, p. 161-178, 1995.

PUCHALSKI, L. A. Efeitos Associados ao El Nño e La Niña na Temperatura Média, Precipitação Pluvial e no Déficit Hídrico no Estado do Rio Grande do Sul. 2000. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia, Área de concentração em Agrometerologia) – Faculdade de Agronomia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2000.

SEGOVIA, F. O. et al. Comparação do crescimento e desenvolvimento da alface (Lactuca sativa L.) no interior e no exterior de uma estufa de polietileno em Santa Maria, RS. Ciência Rural, Santa Maria, v. 27, n. 1, p. 37-41, jan./mar. 1997.

SORIANO, B. M. A. Caracterização climática de Corumbá-MS. Corumbá: EMBRAPA-CPAP, 1997.

VINCENT, L. A. et al. Observed trends in indices of daily temperature extremes in South America 1960-2000. Journal of Climate, Boston, v. 18, p. 5011-5023, dez. 2005.

WILSON, R. M. Variation of surface air temperature in relation to El Niño and cataclysmic volcanic eruptions, 1796-1882. Journal of Atmospheric and Solar-Terrestrial Physics, Oxford, v. 61, n. 1, p. 1307-1319, nov. 1999.

ZHANG, X. C.; LIU, W. Z. Simulating potential response of hydrology, soil erosion, and crop productivity to climate change in Changwu tableland region on the Loess 165 Plateau of China. Agricultural and Forest Meteorology, v. 131, n. 3–4, p. 127–142, maio 2005.

Publicado
2018-12-30
Como Citar
POHLMANN, V., & LAZZARI, M. (2018). Caracterização climática de Cachoeira do Sul, RS quanto à temperatura do ar. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 4(5), 643-650. https://doi.org/10.21674/2448-0479.45.643-650