Escrita acadêmica de qualidade: compreendendo o gênero textual, aprende-se a escrever

  • Ricardo Eugenio DILL Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Dioni Maria dos Santos PAZ Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: curso de férias, gêneros de textos, redação acadêmica

Resumo

A linguagem é a aptidão dos humanos que permite a capacidade de expressar algo, manifestar opiniões e desejos, assim como a troca de informações. A escrita e a oralidade são as formas mais amplas e eficientes para tais objetivos, no entanto elas seguem estruturas para a organização de ideias, através de gêneros textuais bem característicos. Na academia temos padrões de textos específicos. Esses padrões textuais, muitas vezes, são impedimentos aos acadêmicos novatos, em decorrência da falta de familiaridade e da ausência de uma direção sobre quais instrumentos utilizar. Observando essas adversidades, ofereceu-se o Curso de Inverno: Redação Científico/Acadêmica (des)complicada e formas de divulgação no recesso de inverno da UERGS. Realizaram-se discussões sobre as normas para elaboração de gêneros de textos como resumos acadêmicos, resenhas críticas, artigos científicos, comunicação oral e pôster científico. O objetivo foi guiar os acadêmicos em atividades de leitura, de produção e de exposição de conteúdo. O curso teve duração de 30 horas, com um total de 15 participantes concluintes. A dinâmica do curso envolveu atividades expositivas, práticas de elaboração do gênero resumo acadêmico, de 250 palavras, e uma resenha crítica. Os alunos também criaram uma apresentação padrão de tema livre para realizar uma comunicação oral no último dia do curso. Ao final do curso pôde-se observar nos participantes uma evolução do conhecimento sobre as estruturas que compõe cada forma acadêmica de escrita ou divulgação. Para muitos a barreira de não saber como fazer foi desfeita, restando agora iniciar a escrever as suas futuras publicações.

Biografia do Autor

Ricardo Eugenio DILL, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
Possui graduação em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM/2013) registro no CRBio nº 095229/03-D e graduação em Tecnólogo em Agroindústria pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS/2012). Técnico de Laboratório da UERGS - Unidade de Cruz Alta. Faz pós-graduação lato sensu em Gestão e Controle de Qualidade de Alimentos pela UERGS.
Dioni Maria dos Santos PAZ, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Doutora em Letras: Estudos Linguísticos - UFSM. Professora Adjunta da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - Unidade em Cruz Alta. 

Referências

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FIGUEIREDO, D. C.; BONINI, A. Práticas discursivas e ensino do texto acadêmico: concepções de alunos de mestrado sobre a escrita. Linguagem em (Dis)curso - LemD, Tubarão, v. 6, n. 3, p. 413-446, set./dez. 2006.

FIAD, R. S. A escrita na universidade. Revista da ABRALIN, v. eletrônico, n. especial, p. 357-369. 2ª parte, 2011.

LARROSA, J. O ensaio e a escrita acadêmica. Educação e realidade, v.18, n.2, p.101-115, 2003.

MARINHO, M. A escrita nas práticas de letramento acadêmico. RBLA, Belo Horizonte, v. 10, n. 2, p. 363-386, 2010.

PAZ, D. M. S. Produção textual. Santa Maria, RS: Ponto gráfico, 2006.

ROJO, R.; SCHNEUWLY, B. As relações oral/escrita nos gêneros orais formais e públicos: o caso da conferência acadêmica. Linguagem em (Dis)curso - LemD, Tubarão, v. 6, n. 3, p. 463-493, set./dez. 2006.

SILVA, L. N. et al. Manual de trabalhos acadêmicos e científicos da UERGS: orientações práticas à comunidade universitária da UERGS. Porto Alegre: Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, 2013.

SOUZA, R. S. A normose acadêmica. In: NASCIMENTO, L. F. M. (Org). Lia, mas não escrevia: contos, crônicos e poesia. Porto Alegre: [S.n.], 2014.

Publicado
2018-10-23
Como Citar
DILL, R. E., & PAZ, D. M. dos S. (2018). Escrita acadêmica de qualidade: compreendendo o gênero textual, aprende-se a escrever. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 4(3), 478-486. https://doi.org/10.21674/2448-0479.43.478-486
Seção
Artigos