Industria 4.0 na auto-organização dos sistemas produtivos

Palavras-chave: auto-organização, multiagente, indústria 4.0, manufatura, produção

Resumo

Os requisitos de manufatura industrial apontam uma necessidade de reconfiguração e reprogramação do fluxo de processo, a fim de atender modificações no produto com as mudanças dos requisitos de mercado. Estas mudanças implicam em alterações no processo de fabricação, o que, em muitos casos, significa alterar o leiaute, reprogramar controladores, modificar acoplamentos e interfaceamentos, entre outros. As premissas da Indústria 4.0 trazem conceitos de modularização, orientação a serviços e adaptação em tempo real, o que dá ao processo produtivo as características de auto-organização, concedendo mais autonomia, para se autogerenciar e que permitam uma troca rápida de funcionalidades passam a serem desejados em um ambiente de manufatura, onde os sistemas convencionais com programação centralizada, sequência definida no controlador central e arranjo de funcionalidades fixas não dão conta das novas demandas fabris. Os equipamentos passam a se comportar como agentes de manufatura, num universo de multiagentes, que negociam entre si o processo requerido, propiciando o atendimento à variação de produto e dispondo de um número maior de funcionalidades, o que reduz o tempo de troca de processos. Um ensaio com sistemas de manufatura CIM, MES e auto-organizável é realizado, comparando seus resultados, frente a métricas que atendam a necessidade de produtos diversificados em um meio produtivo, onde os sistemas auto-organizáveis mostram seu valor aos novos requisitos de mercado. A auto-organização se apresentou como o sistema mais adequado para atender a requisitos de diversidade e customização de produtos.

Biografia do Autor

João Alvarez PEIXOTO, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Professor Assitente da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Região 1, Unidade Porto Alegre. Mestre em Automação e Controle pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Engenheiro Eletricista pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Luisa Muller PEREIRA, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
Graduanda em Tecnologia em Automação Industrial UERGS, graduanda em Engenharia da produção UNISINOS, participante de projeto de iniciação cientifica que investiga sistemas de produção interativos.

Referências

BELLIFEMINE, F.; CAIRE, G.; GREENWOOD, D. Developing multi-agent systems with JADE. Chichester: John Wiley & Son, 2007. (Wiley series in agent technology).

EUROPEAN PARLIAMENT. Industry 4.0: Digitalisation for productivity and growth. 2015. Disponível em: <http://www.europarl.europa.eu/RegData/etudes/BRIE/2015/568337/EPRS_BRI(2015)568337_EN.pdf>. Acesso em: 29 fev. 2018.

HERMANN, M; PENTEK, T; OTTO, B. Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios: a literature review. 2015. Disponível em: <http://www.snom.mb.tudortmund.de/cms/de/forschung/Arbeitsberichte/Design-Principles-for-Industrie-4_0-Scenarios.pdf>. Acesso em: 29 fev. 2018.

JÔZEFOWSKA, J. Just-in-Time Scheduling: Models and Algorithms for Computer and Manufacturing Systems. Norwell: LLC, 2007. 255 p.

KUSIAK, A. Modelling and design of flexible manufacturing systems. Amsterdam: North-holland, 1986. 431 p.

LEITÃO, P. et al. Trends in agile and cooperative manufacturing. In: PROCEEDINGS OF THE LOW COST AUTOMATION SYMPOSIUM, 2001. Berlin. Proceedings... Berlin: Elsevier, 2001. Disponível em: <https://bibliotecadigital.ipb.pt/handle/10198/1426>. Acesso em: 12 abr. 2018.

McCLELLAN, M. Applying Manufacturing Execution Systems. Boca Raton: St. Lucie Press, 1997.

MENDES, J. M. et al. Service-Oriented Control Architecture for Reconfigurable Production Systems. In: IEEE INTERNATIONAL CONFERENCE ON INDUSTRIAL INFORMATICS -INDIN2008, 2008, Daejeon. Proceedings... New York: IEEE, 2008. Disponível em: <http://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/25257/2/27473.pdf>. Acesso em: 9 feveireiro 2018.

OLIVEIRA, J. A. B. de. Coalition Based Approach for Shop Floor Agility: A Multiagent Approach. 2003. 329 f. Tese (Doutorado) - Curso de Engenharia Electrotécnica e de Computadores - Robótica e Manufactura Integrada, Faculdade de Ciências da Computação, Engenharia Elétrica e Matemática, Universidade Nova de Lisboa Uninova, Lisboa, 2003. Disponível em: <https://run.unl.pt/bitstream/10362/2483/1/Oliveira_2004.pdf>. Acesso em: 6 jan. 2018.

ONORI, M.; SEMERE, D.; LINDBERG, B. Evolvable systems: an approach to self-X production. International Journal of Computer Integrated Manufacturing, London, v. 24, n. 5, p.506-516, May 2011. Informa UK Limited. Disponível em <http://dx.doi.org/10.1080/0951192x.2011.566282>. Acesso em mar 2018.

PEIXOTO, J. A. Desenvolvimento de sistemas de automação da manufatura usando arquiteturas orientadas a serviço e sistemas multiagentes. 2012. 134 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós-graduação em Engenharia Elétrica, Departamento de Engenharia Elétrica, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/61385>. Acesso em: 13 fev. 2018.

PESCHL, M. An architecture for flexible manufacturing systems based on taskdriven agents. 2014. 192 f. Tese (Doutorado) - Curso de Faculdade de Tecnologia da Informação e Engenharia Elétrica, Departamento de Ciências da Computação e Engenharia, Universidade de Oulu, Oulu, 2014. Disponível em: <http://herkules.oulu.fi/isbn9789526203669/isbn9789526203669.pdf>. Acesso em: 20 out. 2017.

QUINN, R. D. et al. An agile manufacturing workcell design. IIE Transactions. [S. l.], v. 29, n.10, 1997, p. 901-909. 1997. Disponível em <http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/07408179708966410>. Acesso em 12 de abr. 2018.

QIU, R. G.; ZHOU, M. Mighty MESs: State of the art and future manufacturing execution systems. IEEE Robotics & Automation Magazine, New York, v. 11, n. 1, p.19-40, May. 2004. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1109/mra.2004.1275947>. Acesso em 6 de março de 2018.

SCHEER, A. W. CIM Computer Integrated Manufacturing: Towards the Factory of the Future. 3. ed. Dordrecht: Springer Science & Business Media, 2012.

SHINGO, S. O sistema toyota de produção: do ponto de vista da engenharia de produção. Porto Alegre: Bookman, 1996. 291 p.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da Produção. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

SILVA, R. M. da. Controle de sistemas reconfiguráveis de manufatura. 2016. 157 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciências, Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

Publicado
2018-10-23
Como Citar
PEIXOTO, J. A., & PEREIRA, L. M. (2018). Industria 4.0 na auto-organização dos sistemas produtivos. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 4(3), 525-538. https://doi.org/10.21674/2448-0479.43.525-538
Seção
Artigos