Economias de aglomeração no Brasil: evidências a partir de equações de rendimentos

  • Anderson Bonetto CARRARO Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Paulo de Andrade JACINTO Universidade Federal do Paraná
  • Túlio Antônio CRAVO Economista do Banco Interamericano de Desenvolvimento
Palavras-chave: economias de aglomeração, equações salariais, densidade do emprego

Resumo

O presente estudo tem como propósito analisar as economias de aglomeração no Brasil, a partir de equações de rendimentos. Por meio da Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE), pretende-se verificar a existência de associações espaciais salariais, tais como: regiões homogêneas (clusters) e observações atípicas (outliers). Na segunda parte, dedicada à estimação do modelo econométrico, utilizam-se equações salariais, com formulação baseada em um modelo desenvolvido por Fingleton (2003), cuja principal hipótese aponta para uma relação positiva entre os diferenciais de salários e a densidade de emprego.

Referências

ALMEIDA, E. Econometria Espacial. Campinas: Alínea, 2012.

AMARANTE, P. A. Economias de Aglomeração nas Atividades Econômicas dos Municípios Brasileiros nos Anos de 2000 e 2009-Evidências a Partir de Equações Salariais. Dissertação. (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2011.

ANSELIN, L. Local indicators of spatial association – LISA. Geographical Analysis, v.27, n.2, p. 91-115, 1995.

ANSELIN, L. Spatial econometrics. Dallas: Bruton Center, 1999.

BANDEIRA, L.; JACINTO, P. de A. Um estudo sobre retorno em escolaridade para a região metropolitana de Porto Alegre. In: XIII ENCONTRO DE ECONOMIA DA REGIÃO SUL, 2010, Porto Alegre. Anais: ANPEC/Sul, Porto Alegre, 2010.

BARROS, A. R. Desigualdades regionais no Brasil: natureza, causas, origens e soluções. Rio de Janeiro: Campus, 2011.

FALCÃO, N. de A.; NETO, R. da M. S. Concentração Espacial De Capital Humano e Externalidades: O Caso Das Cidades Brasileiras. In: Anais do XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA. ANPEC-Associação Nacional dos Centros de Pós-graduação em Economia, 2007.

FINGLETON, B. Increasing returns: evidence from local wage rates in Great Britain. Oxford Economic Papers, v.55, p.716-739, 2003.

GALINARI, R. Retornos crescentes urbano-industriais e spillovers espaciais: evidências a partir da taxa salarial no estado de São Paulo. 2006. 162 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal de Minas Gerais, CEDEPLAR, Minas Gerais, 2006.

GALINARI, R.; LEMOS, M. B.; AMARAL, P. Retornos crescentes urbanos: a influência do espaço na diferenciação da taxa salarial no Brasil. In: DE NEGRI, J. A. et al. Tecnologia, exportação e emprego. Brasília: IPEA, 2006. Cap.8, p.203-248.

GOLGHER, A. B. The selectivity of migration and poverty traps in rural Brazil. Population Review, v. 51, p. 9-27, 2012.

JACOBS, J. The Economy of Cities. New York-United States: Vintage, 1969.

LANGONI, C. G. Distribuição da renda e desenvolvimento econômico no Brasil: uma reafirmação. Ensaios Econômicos EPGE, Rio de Janeiro, n. 7, 1973.

LE GALLO, J.; ERTUR, C. Exploratory spatial data analysis of the distribution of regional per capita GPD in Europe, 1980-1995. Dijon: University of Burgundy, 2000.

LEMOS, M. B. et al. A organização territorial da indústria no Brasil. In: DE NEGRI, J. A., SALERNO, S. S. (Orgs.) Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Brasília: IPEA, 2005. v.1, p.325-364.

LESAGE, J. P. Spatial econometrics. Toledo: University of Toledo, 1999.

LESAGE, J. P.; FISCHER, M. M. Spatial growth regressions: model specification, estimation and interpretation. Spatial Economic Analysis, v. 3, n. 3, p. 275-304, 2008.

LESAGE, J.; PACE, R. K. Introduction to spatial econometrics. Boca Raton CRC Press, 2009.

MINCER, J. A. Investment in human capital and personal income distribution. The Journal of Political Economy, Chicago, v. 66, n. 4, p. 281-302, 1958.

MINCER, J. A. Schooling and earnings. In:__. Schooling, experience, and earnings. Nova Iorque: Columbia University Press, 1974. p. 41-63.

MONASTÉRIO, L.; DAMÉ, O.; SALVO, M. Estrutura espacial das aglomerações e determinação dos salários industriais no Rio Grande do Sul. Ensaios FEE, v. 28, p. 801-824, 2008.

PEROBELLI, F.; HADDAD, E. Brazilian interregional trade (1985-1996): an exploratory spatial data analysis. In: Anais...ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 31, 2003, Porto Seguro: ANPEC, 2003.

RODRIGUES, A. A. F. Impacto da educação no rendimento salarial no Brasil de 2001 a 2008. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

VIEIRA, R. de S. Crescimento Econômico no Estado de São Paulo: uma análise espacial. São Paulo: Fundação Editora Unesp, 2010.

VIANA, G. ; LIMA, J. F. Capital humano e crescimento econômico. Interações, v. 11, n. 2, p. 137-148, 2010.

Publicado
2018-12-05
Como Citar
CARRARO, A. B., JACINTO, P. de A., & CRAVO, T. A. (2018). Economias de aglomeração no Brasil: evidências a partir de equações de rendimentos. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 4(4), 558-581. https://doi.org/10.21674/2448-0479.44.558-581
Seção
Banrisul Número especial