Análise de vinte anos de dados limnológicos e bacteriológicos nas lagoas costeiras do litoral norte do Rio Grande do Sul - Marcelino Ramos, Peixoto e Pinguela (Osório/RS)

  • Fabiana Schumacher FERMINO Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Ingrid Teixeira dos SANTOS Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: lagoas costeiras, variáveis limnológicas, qualidade das águas.

Resumo

As lagoas Marcelino Ramos, Peixoto e Pinguela fazem parte do complexo de lagoas costeiras do Litoral Norte do Rio Grande do Sul, estão situadas no município de Osório/RS e pertencem à Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí. São classificadas de acordo com a resolução CONAMA nº 430/2011 como sendo Classe 4, Classe 1 e Classe 1, respectivamente. A lagoa Marcelino Ramos, com ligação direta com as demais lagoas deste estudo através de um canal - recebeu carga de esgoto não tratado proveniente do município de Osório até o ano de 2015. Neste sentido o presente trabalho traz uma análise dos dados limnológicos e bacteriológicos das três lagoas costeiras avaliando oito variáveis limnológicas que são: temperatura da água, oxigênio dissolvido, demanda bioquímica de oxigênio, fósforo total, nitrogênio amoniacal, potencial hidrogeniônico e condutividade, e coliformes termotolerantes. O objetivo foi analisar mudanças limnológicas nas lagoas estudadas ao longo de vinte anos – 1993 até 2013, assim como registrar se houve influência da lagoa Marcelino Ramos nas demais lagoas conectadas e as mudanças registradas nas estações inverno e verão considerando os parâmetros estudados. A Análise de Componentes Principais demonstrou que a variabilidade limnológica e de coliformes foi condicionada primeiramente pela sazonalidade separando verão e inverno. Contudo, conclui-se que a conectividade entre as lagoas não foi o suficiente para comprometer a qualidade limnológica nestes vinte anos de estudo.

Biografia do Autor

Fabiana Schumacher FERMINO, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Bióloga, especialista em Limnologia, Ecologia, Ambientes Aquáticos, Microalgas.

Departamento: Curso de graduação em Agronomia e Curso de graduação e pós-graduação em Biologia Marinha e Costeira. 

Referências

APHA, Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater.American Public Health Association, 19th ed., New York, 1995.

BRAGION, Isabella V.; SALGADO, Rafael S. Avaliação da Qualidade da Água de um Corpo D’Água da Estação Ambiental São Camilo – EASC – Itanhaém – SP. 2011, 63f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) – Centro Universitário São Camilo, São Paulo, 2011.

CETESB – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Variáveis de qualidade de água. São Paulo, 2009.

COMITÊ DE GERENCIAMENTO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO TRAMANDAÍ. Plano da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí. Rio Grande do Sul, 2005. Disponível em:

https://www.mprs.mp.br/media/areas/ambiente/arquivos/paibh/plano_bacia_hidrografica_rio_tramandai.pdf acessado em: 17/12/2017

ESTEVES, F. de A. Fundamentos de Limnologia. 3. Ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2011.

FARIA, B. M.; ESTEVES, F.A. Carbono orgânico nas lagoas costeiras do norte fluminense: origem, degradação e transferência para a cadeia trófica. In: GOLTERMAN, H. L.; CLYMO, R. S.; OHNSTAD, M. A. M. Methods for chemical analysis of freshwater. (IBP Handbook, n. 8 2nd ed.). Oxford: Blackwell Scientific Publications, 1978. 213 p.

HAMMER, Ø., HARPER, D.A.T., RYAN, P.D. 2001. PAST: Paleontological statistics software package for education and data analysis. Palaeontologia Electronica 4(1): 9pp.

LIMA, ELIANA B. N. R.. Modelação Integrada Para Gestão da Qualidade da Água na Bacia do Rio Cuiabá. Tese - Universidade Federal do Rio de Janeiro, COPPE. Rio de Janeiro, RJ – Brasil. Novembro de 2001.

REBOUÇAS, Aldo C.; BRAGA, Benedito; TUNDISI, José G.. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 1 ed. São Paulo: Ed. Escrituras, 1999. 717p.

SILVA, M. P.; CAVALLI, D. R.; OLIVEIRA, T. C. R. M.. Avaliação do padrão coliformes a 45ºC e comparação da eficiência das técnicas dos tubos múltiplos e Petrifilm EC na detecção de coliformes totais e Escherichia coli em alimentos. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 26(2): 352-359, abr.-jun. 2006.

TUNDISI, J. G. Recursos Hídricos no século XXI. 1ª ed. Oficina de Textos. São Paulo, 2011.

TUNDISI, José G., Água no século XXI: Enfrentando a escassez, 2ª ed. São Carlos: Rima, 2005, p. 256.

WETZEL, R. G. Limnology, 3rd ed. San Diego: Academic Press, 2001.

http://www.fepam.rs.gov.br/qualidade/litoral_norte.aspAcessado em 16/12/2017

(http://www.osorio.rs.gov.br/site/noticia/visualizar/id/3290/?ETE-de-Osorio-aguarda-licenca-para-entrar-em-operacao.htmlAcessado em 18/12/2017).

Publicado
2019-05-09
Como Citar
FERMINO, F. S., & SANTOS, I. T. dos. (2019). Análise de vinte anos de dados limnológicos e bacteriológicos nas lagoas costeiras do litoral norte do Rio Grande do Sul - Marcelino Ramos, Peixoto e Pinguela (Osório/RS). Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 5(1), 57-74. https://doi.org/10.21674/2448-0479.51.57-74
Seção
Artigos