Ideias de Vanguarda: o Design do Festival Hacking Arts

  • João Ricardo Aguiar da Silveira Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Ciências da saúde, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, Laboratório Em Formação, Bloco N – 208, Sala 9, Ilha do Fundão – Cidade Universitária, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro – RJ, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-7741-8128
  • Ericka G. Telles Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Belas Artes, Av. Pedro Calmon, 550, 7° andar, Ilha do Fundão – Cidade Universitária, CEP: 21941-901, Rio de Janeiro – RJ, Brasil.
  • Denise Lannes Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Ciências da saúde, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, Laboratório Em Formação, Bloco N – 208, Sala 9, Ilha do Fundão – Cidade Universitária, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro – RJ, Brasil.

Resumo

Conexões criativas são tão essenciais para o modelo de inovação, que organizações consideradas inovadoras promovem eventos a fim de reunir grupos criativos para acelerar o movimento de ideias, desde o seu conceito até sua realização. Um exemplo de iniciativas internacionais que convergem neste sentido  é o Hacking Arts, uma ação de vanguarda na integração entre arte, ciência e inovação. Realizado dentro do ambiente acadêmico, mas aberto à comunidade em geral, o festival pretende estimular o empreendedorismo e a inovação nas artes criativas e fora delas. O evento subdivide-se em três momentos: a Conferência, a Tech Expo e o Hackathon. Neste artigo é descrita e analisada a edição do evento que ocorreu em Cambridge, Estados Unidos no ano de 2015. Pretende-se, através deste trabalho, descrever o formato desse evento, contextualizando-o a partir das ideias dos autores. O objetivo é que as informações e discussões expostas possam servir de inspiração para o fomento de eventos futuros os quais diminuam a distância entre iniciantes e profissionais renomados e fomentem a aproximação entre arte, ciência e inovação no Brasil. 

Biografia do Autor

João Ricardo Aguiar da Silveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Centro de Ciências da saúde, Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, Laboratório Em Formação, Bloco N – 208, Sala 9, Ilha do Fundão – Cidade Universitária, CEP: 21941-590, Rio de Janeiro – RJ, Brasil.
Mestre em Educação, Gestão e Difusão de Biociências pelo Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo De Meis, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é doutorando pelo mesmo instituto. Em 2012 começou a pesquisar sobre a relação entre arte, ciência e educação e sobre o potencial da integração destas áreas na popularização da ciência. Este trabalho já foi apresentado em diversos eventos acadêmicos em universidades como Harvard, Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Universidade Ryerson (Canadá) e Imperial College London. É membro da International Society for the Arts, Sciences and Technology (Leonardo/ISAST) e da Art & Science Collaborations (ASCI). Atua profissionalmente na área das artes, mais especificamente na área da dança como bailarino, coreógrafo e diretor de espetáculos. Possui mais de 20 anos de experiência profissional nesta área e atuou em mais de 4000 apresentações realizadas no Brasil e no exterior. Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004), com experiência em atenção farmacêutica, toxicologia clínica e em fisiologia. Possui experiência profissional na área de gestão farmacêutica e na área de importação e comercialização de equipamentos de instrumentação científica.
Publicado
2016-04-30
Como Citar
Silveira, J. R. A. da, Telles, E. G., & Lannes, D. (2016). Ideias de Vanguarda: o Design do Festival Hacking Arts. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 2(1), 24-32. https://doi.org/10.21674/2448-0479.21.24-32
Seção
Artigos