Internações por bronquiolite aguda na rede pública da Região Metropolitana de Porto Alegre – RS de 2012 a 2014

Palavras-chave: Bronquiolite, hospitalização, Sistema Único de Saúde, criança;, doenças respiratórias.

Resumo

Resumo

A bronquiolite aguda é uma doença caracterizada por inflamação aguda dos bronquíolos e aumento da produção e da secreção de muco que pode estar associada a broncoespasmo. Acomete principalmente os lactentes, sendo a causa mais comum de hospitalizações pediátricas no primeiro ano de vida. O objetivo deste trabalho foi descrever as características das hospitalizações e os gastos na rede pública por bronquiolite aguda de residentes de 0 a 2 anos da Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), no sul do Brasil, no período 2012 a 2014. As hospitalizações com diagnóstico principal CID-10 J21.0 e J21.8 foram analisadas a partir de dados do Sistema de Informações Hospitalares, disponíveis publicamente. Foram calculados indicadores por sexo, faixas etárias, permanência, letalidade e gastos por internação. Ocorreram 7.091 internações (2.364/ano), na rede pública, por bronquiolite aguda de residentes da RMPA de 2012 a 2014 (153,6/10 mil habitantes/ano). O sexo masculino predominou (4.246 ou 59,9%) e as internações de pacientes de até um ano representaram 99,2%. Bronquiolite por vírus sincicial respiratório respondeu por 2.226 (31,4%) das internações, sendo que o tempo médio de permanência foi de 5,3 dias e a letalidade 0,2% tendo 12 pacientes falecidos. O gasto médio anual foi de R$ 946,2 mil e o valor médio por internação de R$ 400,29. Concluiu-se que as hospitalizações por bronquiolite aguda caracterizaram-se por elevada incidência, curta duração e baixa letalidade na rede pública da Região Metropolitana de Porto Alegre.

Palavras-chave: Bronquiolite; hospitalização; Sistema Único de Saúde; criança; doenças respiratórias.

 

 

Abstract

Hospitalizations for Acute Bronchiolitis in the public network of the Metropolitan Region of Porto Alegre– RS: a cross-sectional study from 2012 to 2014

The acute bronchiolitis is a disease characterized by acute inflammation of the bronchioles and increased mucus production and secretion that can be associated with bronchospasm. It mainly affects infants, being the most common cause of pediatric hospitalizations in the first year of life. The objective of this work was to describe the characteristics of hospitalizations and spent in the public network for acute bronchiolitis of residents aged 0 to 2 years in the Metropolitan Region of Porto Alegre (MRPA), in southern Brazil, from 2012 to 2014. Analysis of hospitalizations with the main diagnosis CID-10 J21.0 and J21.8was performed from the Hospital Information System, publicly available. Calculations of indicators by sex, age groups, length of stay, lethality and spent of hospitalization were also performed. A total of 7,091 hospitalizations occurred (2,364/year) in the public network for acute bronchiolitis of residents of the MRPA from 2012 to 2014 (153.6/10 thousand inhabitants/year). The male gender predominated (4,246 or 59.9%) and hospitalizations of patients up to one year accounted for 99.2%. Bronchiolitis due to respiratory syncytial virus accounted for 2,226 (31.4%) hospitalizations and the average length of stay was 5.3 days and the case fatality rate was 0.2% (12 patients deceased). The average annual expenditure was R $ 946.2 thousand and the average amount per hospitalization was R $ 400.29. It was concluded that hospitalizations for acute bronchiolitis were characterized by high incidence, short duration and low case fatality rate in the public network of the Metropolitan Region of Porto Alegre.

Keywords: Bronchiolitis; hospitalization; Health Unic System; child; respiratory diseases.

 

 

Resumen

Hospitalizaciones por Bronquiolitis Aguda em la Red Pública de la Región Metropolitana de Porto Alegre – RS: un estudio transversal de 2012 a 2014

La bronquiolitis aguda es una enfermedad caracterizada por la inflamación aguda de los bronquiolos y aumento de la producción y secreción de moco que puede asociarse a broncoespasmo. Afecta principalmente los lactantes, siendo la causa más común de hospitalizaciones pediátricas en el primer año de vida. El objetivo de este trabajo fue describir las características de las hospitalizaciones y costos en la red pública por bronquiolitis aguda de residentes de 0 a 2 años de edad de la Región Metropolitana de Porto Alegre, en el sur de Brasil, en el período 2012 a 2014. Las hospitalizaciones con diagnóstico principal CID-10 J21.0 y J21.8fueron analizadas a partir del Sistema de Información Hospitalaria, disponible publicamente. Fueron calculados indicadores por sexo, grupos de edad, permanencia, letalidad y costos por hospitalización. Hubo 7.091 hospitalizaciones (2.364/año) em la red pública por bronquiolitis aguda de residentes de la Región Metropolitana de Porto Alegre de 2012 a 2014 (153,6/10 mil habitantes/año). Predominó el género masculino (4.246 o 59,9%) y las hospitalizaciones de pacientes hasta un año representaron 99,2%. La bronquiolitis por virus respiratorio sincitial representó 2.226 (31,4%) de las hospitalizaciones y el promedio de permanencia fue de 5,3 días y la letalidad 0,2%, teniéndose 12 pacientes fallecidos. El costo pro medio anual fue de R$ 946,2 mil y el monto promedio por hospitalización fue de R$ 400,29. Se concluye que las hospitalizaciones por bronquiolitis aguda se caracterizaron por alta incidencia, corta duración y baja letalidad em la red pública de la Región Metropolitana de Porto Alegre.

Palabras clave: Bronquiolitis; hospitalización; Sistema Único de Salud; niño; enfermidades respiratorias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Morgana Thaís Carollo Fernandes, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

http://lattes.cnpq.br/7890106575135063

Luciana Medeiros Paungartner, Instituto Faveni
Roger dos Santos Rosa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

http://lattes.cnpq.br/lattes.cnpq.br/6601104117405392

Referências

ANVISA.Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Implantação do Núcleo de Segurança do Paciente em Serviços de Saúde. Disponível em: https://www.saude.go.gov.br/images/imagens_migradas/upload/arquivos/2017-09/2016-anvisa---caderno-6---implantacao-nucleo-de-seguranca.pdf. Acesso em 01 de fevereiro de 2021.

BEDRAN, R. M.et al. Atualizações no tratamento de bronquiolite viral aguda. Revista Médica de Minas Gerais, v. 26, supl. 2, S23-S25, 2016.

BRANDAO, H. V. et al. Acute viral bronchiolitis and risk of asthma in schoolchildren: analysis of a Brazilian newborn cohort. Jornal de Pediatria, v. 93, n. 3, p. 223-229, 2017.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção 2020. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/. Acesso em: 02 de fevereiro de 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 221, de 17 de abril de 2008.

BRASIL. Tecnologia da Informação a Serviço do SUS. DATASUS 2014. Disponível em: http://www.datasus.saude.gov.br. Acesso em: 05 de dezembro de 2018.

CABALLERO, M.T.et al. Bronquiolite viral em neonatos jovens: novas perspectivas para manejo e tratamento. Jornal de Pediatria, v. 93, supl. 1, p. 75-83, 2017.

DE MENEZES, L. O. et al. Bronquiolite aguda como condição sensível a atenção primária, em uma cidade no sul do Brasil. Saúde (Santa Maria), v. 43, n. 3, 2017.

FRIEDRICH, F.et al. Early impact of social distancing in response to Coronavirus disease 2019 on hospitalizations for acute bronchiolitis in infants in Brazil. Clinical Infectious Diseases, 2020.

JIMÉNEZ G. R. et al. Impact of a new acute bronchiolitis protocol on clinical practice. Anales de Pediatría,v. 90, n. 2, p. 79-85, 2019.

GEOGHEGAN, S et al. Mortality due to respiratory syncytial virus. Burden and risk factors. American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, v. 195, n. 1, p. 96-103, 2017.

LUISI, F.et al. A azitromicina administrada para bronquiolite aguda pode ter um efeito de proteção na sibilância recorrente. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 46, n. 3, 2020.

MAIA, S. A. et al. Avaliação clínica, funcional e da citologia de escarro em bronquiolite obliterante pós-infecciosa: é possível a coexistência com asma? Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 45, n. 5, 2019.

MAISEL, B. A.et al. Perfil epidemiológico das internações em uma unidade pediátrica do Sistema Único de Saúde. Fisioterapia Brasil, v. 16, n. 1, 2016.

MATA, A. P.et al. Promoção do aleitamento materno na prevenção de bronquite e bronquiolite aguda em menores de um ano de idade em Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Saúde e Meio Ambiente: Revista Interdisciplinar, v. 9, p. 68-79, 2020.

OMS. Organização Mundial de Saúde. The Global Impact of Respiratory Disease – Second Edition Forum of International Respiratory Societies. Disponível em: https://www.who.int/gard/publications/The_Global_Impact_of_Respiratory_Disease_POR.pdf. Acesso em: 02 de fevereiro de 2021.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – CID-10, 2008. Disponível em: www.datasus.gov.br/cid10/v2008/cid10.ht. Acesso em: 03 de dezembro de 2018.

RODRIGUES, C. M. B.et al. Capacidade de exercício em crianças e adolescentes com bronquiolite obliterante pós-infecciosa: uma revisão sistemática. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 37, n. 2, p. 234-240, 2019.

SPARREMBERGER, D. A. H.et al. Características epidemiológicas e influência da coinfecção por vírus respiratórios na gravidade da bronquiolite aguda em lactentes. Scientia Medica, Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 101-106, 2011.

TUMBA, K. et al. Temporal trend of hospitalizations for acute bronchiolitis in infants under one year of age in Brazil between 2008 and 2015. Revista Paulista de Pediatria, v. 38, 2020.

Publicado
2021-08-27
Como Citar
Thaís Carollo Fernandes, M., Medeiros Paungartner, L., & dos Santos Rosa, R. (2021). Internações por bronquiolite aguda na rede pública da Região Metropolitana de Porto Alegre – RS de 2012 a 2014. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 7(2), 196-202. https://doi.org/10.21674/2448-0479.72.196-202
Seção
ARTIGOS INÉDITOS