A institucionalização da gestão de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, Minas Gerais, Brasil, sob a ótica democrática e participativa

  • Hildelano Delanusse Theodoro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Nilo de Oliveira Nascimento Universidade Federal de Minas Gerais
  • Léo Heller Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ)
Palavras-chave: Governança, Gestão de recursos hídricos, Políticas públicas, Gestão institucional, Comitês de bacia

Resumo

Este artigo tem como objetivo identificar os principais processos de gestão de recursos hídricos da bacia hidrográfica do do Rio das Velhas' a partir de uma perspectiva democrática e participativa, enfatizando os aspectos de participação, práticas diferenciadas e transparência. A discussão proposta tem como objetivo mostrar as diferenças entre os processos decisórios e a definição de uma agenda institucional sobre Rio das Velhas que, apesar de ser considerado uma dos mais importantes bacias hidrográficas no estado de Minas Gerais, seus processos de governança institucional ainda não são plenamente conhecidos. Para isso, uma análise triangular foi efetuada tendo em conta o seu aspecto teórico, pesquisa de campo e entrevistas individuais com lideranças, de acordo com o conceito de triangulação de métodos de pesquisa. Como principais conclusões deste trabalho, é importante ressaltar tanto as dificuldades para o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas consolidar um modelo de gestão democrática e participativa, como também a necessidade de autonomia para garantir ações institucionais próprias, em um cenários com fortes interesses estatais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hildelano Delanusse Theodoro, Universidade Federal de Minas Gerais

Pós Graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Referências

ABERS, Rebecca Neaera. Água e Política: atores, instituições e poder nos Organismos Colegiados de Bacia Hidrográfica no Brasil. São Paulo: Annablume, 2010.

ABERS, Rebecca Neaera, KECK, Margaret E. Practical Authority. Oxford. New York: Oxford, 2013.

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA). Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil: informe 2012. Edição especial. Brasília: ANA, 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL (ABES). Disponível em: <http://www.abes-mg.org.br/visualizacao-de-clippings/pt-br/ler/3046/programa-para-revitalizacao-da-bacia-do-rio-das-velhas-e-finalista-do-premio-furnas-ouro-azul>. Acesso em: 13/07/2014.

BANCO MUNDIAL. Governance and Development. Washington, 1992.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1994.

BECK, Ulrich, GIDDENS, Anthony, LASH, Scott. Modernização Reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Editora Unesp, 1997.

CAMARGOS, Luiza de Marillac Moreira (coord.). Plano diretor de recursos hídricos da bacia hidrográfica do rio das Velhas: resumo executivo - dezembro 2004. Belo Horizonte: Instituto Mineiro de Gestão das Águas, Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, 2005.

CASTRO, J.E. Water governance in the twentieth-first century. 2007.

CBH VELHAS. <http://cbhvelhas.org.br/a-bacia-hidrografica-do-rio-das-velhas/> ; 24/10/2014.

CUNHA, Eleonora Schettini M., THEODORO, Hildelano Delanusse. Desenho Institucional, Democracia e Participation: conexões teóricas e possibilidades analíticas. Belo Horizonte: Editora D´Plácido, 2014.

FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GIDDENS, Anthony. A política da mudança climática. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

GOLAFSHANI, Nahid. Understanding reliability and validity in qualitative research. The Qualitative Report. Vol. 8, N° 4, 2003.

GOOCH, Geoffrey D. e HUITEMA, David. “Improving governance through deliberative democracy - initiating informed public participation in water governance policy processes”. 2004.

GOULART, Eugênio Marcos Andrade (org.). Navegando o Rio das Velhas das Minas aos Gerais. Vol. I e II. Belo Horizonte: Instituto Guaicuy - SOS Rio das Velhas/Projeto Manuelzão/UFMG, 2005.

GREEN, Colin. Mapping the field: the landscapes of governance. Flood Hazard Research Center. Middlesex University. London, 2007.

KAUFMANN. Governance matters. 1999.

KOOIMAN. “Interactive governance and governability: an introduction”. 2008.

LEMOS, Rodrigo. <http://150.164.90.128/mobilizacao/subcomites. 2011>. 05/09/2012.

MAYNTZ, Renate. “Nuevos desafíos de la teoría de Governance”. Instituto Internacional de Governabilitat de Catalunya. Barcelona, 2000.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

_____. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

RICHARD, Sophie e RIEU, Thierry. “Une approche historique de la gouvernance pour éclairer la gestion concertée de l’eau en France”. 13th IWRA World Water Congress 2008. France, 2008.

ROGERS, Peter & HALL, Alan W. Effective water governance. The Background papers no. 7 - GWP - Technical Committee (TEC). Stockholm: Elanders Novum, 2003.

RÖLING, Niels e MAARLEVELD, Marleen. Facing strategic narratives: an argument for interactive effectiveness. Agriculture and Human Values 16. 295-308. 1999.

SOARES, Samira Iasbeck de Oliveira. A mediação de conflitos na gestão de recursos hídricos no Brasil. Dissertação de Mestrado. USP. São Paulo, 2008.

SWYNGEDOUW, Erick. Governance Innovation and the Citizen: The Janus face of governance-beyond-the-State. Urban Studies, Vol. 2, n° 11, 2005.

TORTAJADA, Cecilia. Institutions for integrated river basin management in Latin America. Water Resources Development, Vol. 17, nº 3, 289-301, 2001.

THEODORO, Hildelano Delanusse. Instituições e gestão de recursos hídricos em Minas Gerais. Dissertação de Mestrado. UFV, 2002.

THEODORO, Hildelano Delanusse e MARQUES, Danilo. Análise de modelos institucionais de recursos hídricos, com foco em Minas Gerais, Brasil. Revista Sustentabilidade em Debate. V.5, n. 1, p. 117-135, jan/abr. Brasília: UnB, 2014.

TUCCI, C. E. M. Gestão da Água no Brasil – Brasília : UNESCO, 2001.

UNESCO. Water: a shared responsability. Report 2. 2006.

WARNER, Jeroen. Multi-Stakeholder Platforms for Integrated Water Managment. The Netherlands. Ashgate Publishing Limited. 2007.

WESTER, Shad and MERREY. Providing Irrigation Services in Water-Scarce Basins: Representation and Support. 2005.

Publicado
2016-08-31
Como Citar
Theodoro, H. D., Nascimento, N. de O., & Heller, L. (2016). A institucionalização da gestão de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, Minas Gerais, Brasil, sob a ótica democrática e participativa. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 2(2), 159-173. https://doi.org/10.21674/2448-0479.22.159-173
Seção
ARTIGOS INÉDITOS