Percepção e ação ecossanitária numa comunidade adjacente à Sanga das Charqueadas em Tapes - Rio Grande do Sul - Brasil

Silvia Maria Hoff AMBOS, Antônio Leite RUAS NETO, Stefania Hoff AMBOS

Resumo


O município de Tapes localiza-se às margens da Laguna dos Patos no Rio Grande do Sul. Tapes possui três cursos d’água urbanos: Arroio Teixeira, Sanga do Meio, Sanga da Charqueadas e um rural, Sanga das Capivaras. Os cursos de água são poluídos pelo esgoto doméstico e aporte de agrotóxicos, com risco à saúde principalmente em inundações. Neste estudo objetivou-se compreender as percepções ecológicas e sanitárias da comunidade da Vila Maria, situada no início da Sanga das Charqueadas. Em períodos sem inundação, a comunidade utiliza as margens do curso para recreação e tem contato com a água durante a pesca esportiva. A mata ciliar é densa em parte e há animais silvestres na área. Avaliou-se a percepção sobre as condições ecológicas e as propostas de melhoria incluindo atividades de fitorremediação. A metodologia foi a da Educomunicação com perspectiva de ecossanitarismo e o Método Bambu de planejamento em oficinas comunitárias. O conhecimento tradicional e popular foi valorizado para a ação comunitária. Nesta parte do curso de água foi detectada contaminação por coliformes fecais anteriormente e confirmada no estudo. Foi constatado um nível proibitivo para contatos recreativos, no qual ficou próximo de 100 000 NMP/100 ml. Nas oficinas observou-se o cuidado com os recursos naturais e um interesse em desenvolver alternativas mitigadoras como a fitorremediação. Uma ação comunitária de reflorestamento nativo na mata ciliar e plantio de taiobas para fitorremediação foi indicado e praticado. Concluiu-se que o desenvolvimento de ações comunitárias ecossanitárias foi viabilizado a partir do espaço criado pelo projeto.

 

 


Palavras-chave


Tapes; Sanga das Charqueadas; Ecossanitarismo; Percepção comunitária;

Texto completo:

PDF

Referências


BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental Empresarial. 3ª ed. Editora Saraiva, São Paulo, 2012.

CHARRON, D. F. Ecohealth research in practice. IDRC. SPRINGER. Ottawa, 2012.

CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução N°274, de 29 de novembro de 2000. Dispõe sobre a Balneabilidade. Disponível em: www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=272. Acesso em: 15 maio 2016.

CORSAN. Estudo e projetos executivo para os sistemas sanitário – SES – da– lote 1. Tapes, 2015.

EMBRAPA HORTALIÇAS

Acesso em: 10 maio 2016.

FILLION, M.; LEMIRE, M. Degradação ambiental, mercúrio e saúde no Tapajós. Projeto Caruso. Universidade de Brasília, 2008. Cartilha.

LEBEL, J. Health: an ecosystem approach. IDRC. Ottawa, 2003.

GOMES, M. A. O. Diagnóstico rápido participativo: uma ferramenta de ação e aprendizagem coletiva. In: Brose, M. Metodologia participativa: uma introdução a 29 instrumentos, 2ª ed., pp: 67-80. Tomo Editorial, 2010.

FELLEMBERG, G. Introdução aos problemas da poluição ambiental. E.P.U.-SPRINGER-EDUSP São Paulo,1980.

GALBIATI, A. F. Tratamento domiciliar de águas negras através de tanque de evapotranspiração, .2009, 38p. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Ambientais, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul,Campo Grande, 2009.

MINAYO, M. C. S. de. Saúde e ambiente: uma relação necessária. In: CAMPOS, G. W. S. C. de (et al.). Tratado de saúde coletiva. 2ª ed, pp: 79 – 108. São Paulo. HUCITEC, 2012.

PHILIPPI JR., A; ROMÉRO, M. A. DE; BRUNA, G. C. Curso de gestão ambiental. 2ª ed. USP, 2014.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPES. Relatório técnico final. Convênio SEMA/PRÓ-MAR-DE-DENTRO, 04/2004. Diagnóstico das Condições Sanitárias Básica da Área Urbana do Município de Tapes. Documento impresso, 2007.

PRIMACK, R.R; RODRIGUES E. Biologia da conservação, Editora Planta. Londrina, 2001.

SÁ, R. F. de; ARAÚJO, J. A.; FREIRE, M. S. M.; SALLES, R. S.; CHUMA, J.; ROYAMA, H.; YUASA, M.; YAMAMOTO, S.; MENEZES FILHO, A.; NISHIDA, M.; TRINDADE, C. M. A.; OLIVEIRA, A. A. Manual do método Bambu: construindo municípios saudáveis. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2007.

SAGI. Relatórios de Informações Sociais- RI Bolsa Família e Cadastro Único. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2016.

VÍCTORA, C. G.; RUAS NETO, A. L. Educação popular e planejamento participativo na comunidade indígena Charrua: aplicação do método Bambu. Revista de Extensão, 8: 24 – 30, 2014.

VICTORA, C. G.; KNAUTH, D. R.; HASSEN, M. N. de. Pesquisa qualitativa em saúde. Porto Alegre. Tomo Editorial, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.21674/2448-0479.31.129-149

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.