Diversidade e potencial de utilização de plantas alimentícias não convencionais no Vale do Taquari,RS

Elaine BIONDO, Matheus FLECK, Eliane Maria KOLCHINSKI, Voltaire SANT'ANNA, Rejane Giacomolli POLESI

Resumo


Plantas alimentícias não convencionais (PANCs) são espécies nativas ou cultivadas cujas flores, folhas, caule, pólen ou raízes são comestíveis, mas não convencionalmente utilizadas na alimentação humana, possuem grande importância ecológica e econômica, muitas vezes consideradas invasoras, ou inços, pois ocorrem em monoculturas comerciais, gerando competição e perdas agrícolas. São adaptadas a condições de solo e clima local, características importantes para o melhoramento genético. Além disto, muitas das espécies de panc’s, especialmente as nativas, apresentam distribuição limitada e restrita a determinadas localidades ou regiões, influenciando fortemente na cultura alimentar das comunidades. Assim, o objetivo deste trabalho foi realizar o levantamento da diversidade de espécies de panc´s nativas e cultivadas ocorrentes no Vale do Taquari, identifica-las e discutir o potencial alimentar de algumas das espécies nativas. Foram realizadas viagens de coletas de março de 2013 a dezembro de 2015, nas margens de rodovias estaduais na região, na beiras de estradas secundárias, formações florestais e matas ciliares. As espécies foram coletadas e organizadas em exsicatas, a identificação botânica foi realizada em literatura especializada e inseridas no Herbário Uenc, além de revisão bibliográfica sobre potencial alimentar. Foram identificadas 39 espécies de panc´s, sendo as mais observadas as mais observadas a campo o mamãozinho-do-mato, crem, capuchinha, bertalha-coração, serralha, inhame, cará, ananás. A revisão bibliográfica mostrou que ocorrem na região cerca de 104 espécies nativas e cultivadas com potencial alimentício, havendo necessidade de continuidade das coletas na região. Conclui-se que há ampla diversidade de panc´s, sendo fundamental aprofundar o conhecimento do seu uso potencial como alimento.


Palavras-chave


Agrobiodiversidade. Recursos genéticos. Alimento. Panc´s.

Texto completo:

PDF

Referências


BACKES,P.; IRGANG, B. Arvores do Sul – Guia de identificação e Interesse ecológico. Santa Cruz do Sul : Clube da Árvore. 326p. 2002.

BIONDO, E.; CEMIN, P.; SIMIONI, C.; KOLCHINSKI, E.; SANT’ANNA; ZAMBIASI, I.C. Caracterização citogenética e ecológi-ca de populações de mamãozinho-do-mato (Vasconcellea quercifolia A.St.Hill – Caricaceae) uma planta alimentícia não-convencional pouco explorada. Cadernos de Agroecologia, ISSN 2236-7934, v.8, n°2, novembro 2013.

BIONDO, E.; FLECK, M. SANT’ANNA, V. Centesimal and mineral analysis of native wild strawberries from Southern of Brasil. In.: Con-ferenceSerries.com. Journal of Food Processing & Technology: Open Access, Vol. 8.Issue 1, p. 101. Agri World & Euro Food and Bevarage 2017.

BIONDO, E.; SANT’ANNA, V.; KOLCHINSKI, E.M.K.; FLECK, M.; GIRARDI, I.; FACCIN, C. Exposição fotográfica: Um olhar sobre a Biodiversidade Regional do Vale do Taquari II: Fungos , Angios-permas – panc´s e pteridófitas. Relatório Técnico Projeto de Ex-tensão, Encantado, Uergs, 2016, 5p.

BRACK, P.; KINUPP, V.F.; SOBRAL, M.E.G. Levantamento prelimi-nar de espécies frutíferas de árvores e arbustos nativos com uso atual ou potencial do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Agroecologia, v.2, n.1, 1769-1772. 2007

BRACK, P. Plantas alimentícias não convencionais. Agriculturas. v. 13, n.2, p. 4-6, 2016.

BRASIL. . Manual de Hortaliças Não-Convencionais. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Brasília DF: MAPA/ACS, 2010. 92p.

CORADIN, L.; SIMINSHI, A.; REIS, A. (Eds.) Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial: Plantas Para o Futuro Região Sul. Brasília: MMA, 2011. Biodiversidade 40. 934p.

FAES. Pimenta rosa desponta para exportação no Espírito Santo. Revista Esta Terra, Informativo da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Espírito Santo, 2009. Disponível em:< http://www.faes.org.br/doc/jornal/1259682672_SenarNov_OK.pdf>. Acesso 17 junh 2016.

FIORAVANTI, C. A maior diversidade de plantas do mundo. Pes-quisa FAPESP, São Paulo, n. 241, p. 42-47. mar 2016.

FLECK, M.; BIONDO, E.; SANT’ANNA, V.; KOLCHINSKI, E.M.; KRYCKY, K.C.; CEMIN, P.; ZAMBIASI, I.C. Número cromossômico, comportamento meiótico e viabilidade de grãos de pólen em popu-lações de Vasconcellea quercifolia A.St.Hill. (Caricaceae) nativas no Vale do Taquari. Revista Eletrônica Científica, Uergs, Porto Alegre, v.1,n.1, p.19-24, 2015.

HILGERT, M.A.; BARROS, I.B.I. Análise de atividade antioxidante em bertalha (Anredera cordifolia) uma hortaliça não convencional com potencial alimentar. In.: Salão da Ufrgs, 2014, SIC XXVI Salão de Iniciação Científica da Ufrgs, Ufrgs, Porto Alegre.

KINUPP, V.F. Plantas alimentícias alternativas no Brasil, uma fonte complementar de alimento e renda. Revista Brasileira de Agroeco-logia, v.1, n.1, p.333-336, 2006

KINUPP, V.F. Plantas alimentícias não-convencionais da região metropolitana de Porto Alegre, RS. 2007, 2v. 562 f. Tese (Doutora-do em Agronomia), Faculdade de Agronomia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

KINUPP, V.F.; AMARO, F.S.; BARROS, I.B.I. Anredera cordifolia (Baselaceae), uma hortaliça potencial em desuso no Brasil. 2004. On line. Disponível em:< http://www.abhorticultura.com.br/biblioteca/arquivos/Download/Biblioteca/44_030.pdf> Acesso em: 10 de jun 2017.

KINUPP, V.F.; BARROS, I.B.I. de. Teores de proteína e minerais de espécies nativas, potenciais hortaliças e frutas. Ciência e Tecnolo-gia de Alimentos, v.28, n.4, p. 846-857, 2008.

KINUPP, V.F.; LORENZI, H. Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PAN’C) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. Nova Odessa: Ed. Plantarum, 768p. 2014.

KÖHLER, M.; BRACK, P. Frutas nativas no Rio Grande do Sul: cul-tivando e valorizando a diversidade. Agriculturas. v. 13, n.2, p.7-15, junho, 2016.

LORENZI, H.; BACHER, L.; LACERDA, M.; SARTORI, S. Frutas brasileiras exóticas cultivadas (de consumo in natura). Nova Odessa: Editora Plantarum, 2006.

MARTINEVSKI, C.S. et al. Utilização de bertalha (Anredera cordifolia (Ten.)) e ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata Mill.) na elaboração de pães. Alim. Nutr. Braz. J. Food Nutrit., Araraquara, V.24, n.3, 2013.

OLIVEIRA, S. R. de. Plantas Alimentícias não convencionais (PANCs) voltam a ganhar espaço na mesa dos brasileiros. Revista Letras da Terra, ano 12, n. 36,p. 6-8, dezembro 2013.

PEREIRA, M.L. Valorização da Agrobiodiversidade como estratégia de desenvolvimento territorial sustentável: Estudo exploratório na zona costeira centro-sul de Santa Catarina. 2013, 196p. Dissertação (Mestrado em Agroecossistemas), Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

PLEAPO. RIO GRANDE DO SUL. Rio Grande Agroecológico – Plano Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica 2016-2019. Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo do Rio Grande do Sul, SDR/RS. 2016.

POLESI, R.G. Agrobiodiversidade e Segurança Alimentar no Vale do Taquari: plantas alimentícias não convencionais e frutas nativas. 2016, 48p. Monografia (Especialização em Gestão da Qualidade no Processamento de Alimentos, Unidade de Encantado, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, Encantado, 2016.

RAPOPORT, E.H.; LADIO, A. Los bosques andino-patagónicos como fuentes de alimento. Bosque, Valdivia, v.20, n.2, 1999.

RAPOPORT, E.H.; MARZOCCA, A.; DRAUSAL, B.S. Malerzas co-mestíbles del Cono Sur Y Otras Partes del Planeta. Argentina: Instituto Nacional de Tecnologia e Agropecuária (INIA), 2009. 216p.

ROCHA, D.R.C. et al. Macarrão adicionado de orapró-nobis (Peres-kia aculeata Muller.) desidratado. Alimentação e Nutrição, Arara-quara, v.19, n.4, p.459-465, 2008.

SIMON, A. MARTINEVSKI,S.C.; RIOS, A.; FLORES, H.S. Determi-nação da atividade antioxidante das hortaliças ora-pro-nobis (Pe-reskia aculeata) e bertalha (Anredera cordifolia). In.: ICTA, 2011. Disponível em:< https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/48564/Poster_11662.pdf?sequence=2>. Acesso em 10 jun 2017.

SOUZA, V.C.; LORENZI, H. Botânica Sistemática. Guia ilustrado para identificação das famílias de Angiospermas da flora brasileira, baseado em APG III. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.

SOUZA,LF. Aspectos Fitotécnicos, Bromatológicos e Componentes bioativos de Pereskia aculeata, Pereskia grandiflora e Anredera cordi-folia. 2014, 113 p. Tese (Doutorado em Fitotecnia), Faculdade de Agronomia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Ale-gre, 2014.

TOFANELLI, M.B.D.; RESENDE, S.G. Sistema de condução na produção de folhas de ora-pro-nóbis. Pesquisa Agropecuária Tro-pical, v.41, n.3, p. 466-469, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.21674/2448-0479.41.61-90

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.