Análise de qualidade da água e do solo utilizando Alfakit®: abordagem teórico-prática para ensino de ciências na Escola Paulo VI, Canoas - RS

Palavras-chave: Educação ambiental, sustentabilidade, ensino de ciências.

Resumo

Resumo

As ações relacionadas ao meio ambiente e ao uso dos recursos naturais são de extrema importância para a formação do cidadão consciente. Quando realizadas em ambientes escolares podem propiciar a união entre teoria e prática e possibilitar o protagonismo dos estudantes, além de atender às competências da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Diante disso, este estudo teve por objetivo realizar análise da qualidade da água e do solo de quatro pontos de amostragem (A1 a A4 e S1 a S4) utilizando Alfakit®, por meio de análises físico-químicas e microbiológicas, com o envolvimento dos estudantes do 6º ano de uma escola pública no município de Canoas, RS. O método utilizado foi de pesquisa-ação, uma vez que a proposta pretendia fomentar a discussão de um problema de forma colaborativa e participativa, desenvolvida por meio de observação, análise e prática. Foi possível perceber o desenvolvimento de autonomia e um movimento maior dos estudantes com a construção do conhecimento a partir da proposta de estudo. Na avaliação das amostras, A1 apresentou valores acima do permitido de amônia, presença de coliformes totais e Escherichia coli e a amostra A3 apresentou pH abaixo dos parâmetros e presença de fosfato acima do permitido pela legislação. A educação ambiental na escola trabalha competências voltadas para conservação do meio ambiente possibilitando uma vivência do estudante com os problemas da comunidade na qual está inserida.

Palavras-chave: Educação ambiental; sustentabilidade; ensino de ciências.

 

Abstract

Analysis of water and soil quality using Alfakit®: theoretical-practical approach to science teaching at Escola Paulo VI, Canoas - RS

Actions related to the environment and the use of natural resources are extremely important for the formation of conscious citizens. When carried out in school environments, they can provide a link between theory and practice and enable students to take a leading role, in addition to meeting the competencies of the National Common Curriculum Base (BNCC). Therefore, this study aimed to analyze the water and soil quality of four sampling points (A1 to A4 and S1 to S4) using Alfakit®️, over physical-chemical and microbiological analysis, with the involvement of the sixth-year students from a public school in the city of Canoas, RS. The method used was action research since the proposal aimed to foster a discussion of a problem in a collaborative and sharing way, developed through observation and practice. It was possible to perceive the development of autonomy and greater involvement of students with the construction of knowledge from the study proposal. In the evaluation of the samples, A1 presented values above the allowed for ammonia, presence of total coliforms, and Escherichia coli and the sample A3 presented pH below the parameters and the presence of phosphate above that allowed by the legislation. Environmental education at school works on skills aimed at environmental conservation, enabling students to experience the problems of the community they are part of.

Keywords: Environmental education; sustainability; science teaching.

 

Resumen

Análisis de la calidad del agua y del suelo con Alfakit®: abordaje teórico-práctico de la enseñanza de las ciencias en la Escola Paulo VI, Canoas – RS

Las acciones relacionadas con el medio ambiente y el uso de los recursos naturales son de suma importancia para la formación de ciudadanos conscientes.  Cuando essas acciones se realizan en ambientes escolares, pueden proporcionar una unión entre la teoría y la práctica, permitiendo que los estudiantes asuman un papel protagónico, además de cumplir con las propósitos de la Base Curricular Común Nacional (BNCC).  Por lo tanto, este estudio tuvo como objetivo analizar la calidad del agua y del suelo de cuatro puntos de muestreo (A1 a A4 y S1 a S4) utilizando Alfakit®️, a través de análisis físico-químicos y microbiológicos, con la participación de estudiantes de 6to año de una escuela pública de  la ciudad de Canoas, RS, Brasil. El método utilizado fue la investigación-acción, ya que la propuesta pretendía incentivar la discusión de un problema de forma colaborativa y participativa, desarrollada a través de  la observación, análisis y práctica.  Fue posible percibir el desarrollo de autonomía y un mayor movimiento de los estudiantes con la construcción del conocimiento a partir de la propuesta de estudio.  En la evaluación de las muestras, A1 presentó valores por encima de los permitidos de amoníaco, presencia de coliformes totales y Escherichia coli. La muestra  A3 presentó pH por debajo de los parámetros y presencia de fosfato por encima de los  valores permitidos por la legislación.  La educación ambiental en la escuela trabaja habilidades dirigidas a la conservación del medio ambiente, capacitando al alumno para experimentar los problemas de la comunidad en la que está inserto.

 Palabras llave: Educación ambiental; sostenibilidad; enseñanza de las ciencias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaqueline Milani, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)

http://lattes.cnpq.br/7008458953666827

Daniela Mueller de Lara , Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)

http://lattes.cnpq.br/1557177056454917

Erli Schneider Costa , Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)

http://lattes.cnpq.br/7673027604263418

Referências

ALFAKIT. Manual Colipaper petri. Análise Microbiológica de E.coli e Coliformes Totais. 2019.

ANA. Agência Nacional de Águas. Situação da Água no Mundo. Disponível em: https://www.ana.gov.br/panorama-das-aguas/agua-no-mundo. Acesso em: 27 jan. 2020.

BACICH, L; MORAN, J. (org). Metodologias ativas para uma educação inovadora. Porto Alegre. Penso, 2018. 238p.

BARTZIK, F.; ZANDER, L.D. A importância das aulas práticas de ciências no ensino fundamental.

Revista @rquivo Brasileiro de Educação, Belo Horizonte, v. 4, n. 8, p 31-38, mai./ago. 2016.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC. Secretaria de Educação Básica, 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Brasília, 5 de outubro de 1988. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em 27 jan. 2020.

BRASIL. Lei 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28 abr. 1999.

BRASIL. Lei nº 12.305/10. Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, 2 de agosto de 2010.

BRASIL. Portaria Ministério da Saúde nº 2914 de 12 de dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Diário Oficial da União, dez. 2011.

CÉSAR, D.M; CAMPOS, C.R.P. Percepções ambientais em uma aula de campo no ensino de ciências: o que dizem os estudantes. XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – XI ENPEC. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R1735-1.pdf. De 3 a 6 de julho de 2017. Acesso em: 13 jan. 2021.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Apêndice e significado ambiental e sanitário das variáveis de qualidade das águas e dos sedimentos e metodologias analíticas e de amostragem. Disponível em: https://cetesb.sp.gov.br/aguas-interiores/wp-content/uploads/sites/12/2017/11/Ap%C3%AAndice-E-Significado-Ambiental-e-Sanit%C3%A1rio-das-Vari%C3%A1veis-de-Qualidade-2016.pdf. Acesso: 07 mai. 2020.

CHRISTMANN, J. P.; GRAEBIN, C. M. G. Os pescadores da Praia do Paquetá (Canoas, RS): memórias sobre mobilização social. Revista Memória em Rede, Pelotas, v.8, n.15, p 160-184. Jul./Dez.2016. DOI: HTTPS://DOI.ORG/10.15210/RMR.V8I15.9577. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/Memoria/article/view/9577. Acesso em: 10 out. 2020.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA. Resolução n. 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf. Acesso em: 15 jan. 2020.

DOMINGOS, K; DUTRA, R. Vivência do estágio docente nos anos finais: as possibilidades metodológicas para a docência. Desafios e aplicações de saídas de campo. Pesquisar: Revista de Estudos e Pesquisas em Ensino de Geografia. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. v. 5, n. 8, p. 42-50. Set 2018.

DONATO et al. Efeitos da poluição em mananciais e rios nos ambientes urbanos. I Simpósio Brasileiro Online. Gestão Urbana. 26 a 28 de abril de 2017.Disponível em: https://www.eventoanap.org.br/data/inscricoes/1678/form1456395.pdf. Acesso: 13 jan 2021.

FAO. Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. Poluição contribui para perdas de bilhões de toneladas de solos por ano. Publicado em 27 de junho de 2017. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2017/06/1589391-fao-poluicao-contribui-para-perdas-de-bilhoes-de-toneladas-de-solos-por-ano. Acesso em: 27 jan. 2020.

FAO. Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. Status of the World’s Soil Resources. Main Report. Publicado em 2015. Disponível em: http://www.fao.org/3/a-i5199e.pdf. Acesso: 27 jan. 2020.

FEIL, A. A.; SCHREIBER, D. Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: desvendando as sobreposições e alcances de seus significados. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p.677-681. Jul./Set. 2017.

FIORAVANTI, M.I.A; et al. Monitoramento e avaliação da qualidade da água de solução alternativa coletiva de abastecimento de escolas públicas do município de Itatiba, SP. Revista Visa em Debate.

v.8 n.2 p.122-133. 2020.

GALLON, M. DA S. et al. O papel do professor orientador na visão de um grupo de estudantes de ensino médio. Olhares: Revista do Departamento de Educação da Unifesp. Guarulhos, SP. v. 6. n.1, 164-180. 2018.

HESS, S. C. (org.) Ensaios sobre poluição e doenças no Brasil. 1ª edição. São Paulo. Outras Expressões, 2018. 344p.

JUNIOR, A.S.V. Sustentabilidade socioambiental em sala de aula. 11º Encontro Internacional de Formação de Professores /12º Fórum Permanente de Inovação Educacional / 4 Encontro Estadual da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação Seção Sergipe. Capa. v. 11, n. 1 2018. Disponível em: https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/view/8721/3576. Acesso em: 26 jul. 2019.

KINDLER, A.F. Avaliação da citogenotoxicidade das águas do arroio Araçá (Canoas –RS – Brasil) através do sistema Allium cepa. 2016. 38 p. Dissertação (Mestrado em Avaliação de Impactos Ambientais). Centro Universitário La Salle – Unilasalle, Canoas, 2016.

LIMA; A.R. de. et al. Avaliação da qualidade da água em bebedouros em escolas de Ensino Fundamental I de cidade do Sertão do Pajeú-PE. Revista Brasileira de Educação e Saúde. v. 10, n.2, p. 45-49, abr-jun, 2020.

LIMBERGER, K.M. et al. As funções da experimentação no ensino de ciências e matemática. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC-RS - Ensino de Ciências e Tecnologia em Revista, Porto Alegre, v. 6, n. 2. Jul./Dez. 2016.

MILHOME, M. A. et al. Diagnóstico da Contaminação do Solo por Metais Tóxicos Provenientes de Resíduos Sólidos Urbanos e a Influência da Matéria Orgânica. Revista Virtual Química. v. 10 n. 1, p. 59-72. 2018.

MIRANDA, M.; INÁCIO, R. Aquaponia e Educação. In: ALFARO, C.; INÁCIO, R. Introdução à aquaponia: Cultivo de peixes e plantas em sistemas integrados. 2017. p.134-145.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Água. Disponível em: https://www.mma.gov.br/agua.html. Acesso em: 27 jan. 2020.

NICOLA, J. A.; PANIZ, C. M. A importância da utilização de diferentes recursos didáticos no ensino de biologia. Infor, Inov. Form., Revista NEaD-Unesp, São Paulo, v. 2, n. 1, p.355-381, 2016.

ONU. Organização das Nações Unidas. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2015/10/agenda2030-pt-br.pdf. Acesso em: 15 jan. 2020.

PEIXOTO, F. da S. Risco de contaminação da água subterrânea em uma sub-bacia urbana. Mercator, Fortaleza, v.19 , e19013, 2020.

PINTO, B.C.T; CAMILO, G.da S. Atividade prática de educação ambiental em espaço não formal: aspectos da bacia hidrográfica como tema gerador. Revista Ambiente & Educação. v. 25, n. 2, p.536-558. 2020

RIBEIRO, L.G.G.; ROLIM, N.D. Planeta água de quem e para quem: uma análise da água doce como direito fundamental e sua valoração mercadológica. Revista Direito Ambiental e sociedade, v. 7, n. 1. p. 7-33, 2017.

SANTANA, K.B. et al. As etapas do tratamento de água: Ações do PIBID em uma escola pública de Rorainópolis-Roraima. Revista Thema. V. 14. n. 4. p. 267-278. 2017.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 16º ed. Editora Cortez. São Paulo, 2008. 132p.

Publicado
2022-04-30
Como Citar
Milani, J., Lara, D., & Costa, E. (2022). Análise de qualidade da água e do solo utilizando Alfakit®: abordagem teórico-prática para ensino de ciências na Escola Paulo VI, Canoas - RS. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 8(1), 94-105. https://doi.org/10.21674/2448-0479.81.94-105
Seção
ARTIGOS INÉDITOS