O fortalecimento da igualdade de gênero no ambiente de trabalho: um diálogo entre o estado democrático de direito e os direitos humanos

  • Viviane Bastos MACHADO Faculdade Metropolitana São Carlos
  • Emilly de Figueiredo BARELLI Faculdade Metropolitana São Carlos
Palavras-chave: mulher, dignidade humana, efetividade, igualdade laboral

Resumo

Destaca-se nesse momento a existência de uma construção legislativa formalizada no intuito de efetivar a realidade de um direito que se constrói a tempos, e que efetivamente está ainda em formação. Encontrar as melhores e as mais eficientes ferramentas para efetivar a existência da igualdade não é tarefa simples, nem muito menos, perde complexidade pelo momento em que estamos vivendo. A etapa de construção da realidade feminina perpassa por mecanismos de preconceito velado, e de uma economia avassadora, do ponto de vista de suas exigências nos dias que atualmente vivenciamos. Impressiona-se ao constatar que a quantidade de mulheres que ainda são relegadas a determinados cargos, e outras que sequer atingem o valor econômico decorrente ao seu cargo, em igualdade de condição com homens é comum. A proposta é, através de uma revisão de literatura, levantar questões humanas, históricas, legais, jurídicas, assim sendo, propõe-se nesse trabalho fazer um levantamento de algumas normas legais que buscam atingir a expectativa constitucional do princípio da igualdade através de ferramentas e, especialmente, todos os questionamentos se direcionam a realidade laboral da mulher na realidade brasileira.

Biografia do Autor

Viviane Bastos MACHADO, Faculdade Metropolitana São Carlos

Mestra em Cognição e Linguagem UENF; especialista em direito civil, processo civil e direito constitucional aplicado; especialista em gestão e ensino à distância, UFF, professora de graduação e pós-graduação em direito.

Referências

BARCELLOS. A Eficácia Jurídica dos Princípios Constitucionais: o princípio da dignidade da Pessoa Humana. 2 ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

BARROS, A. M. A Mulher e o Direito do Trabalho. São Paulo: LTr, 1995.

BOBBIO, N. A Era dos Direitos. São Paulo: Campus, 2004.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 5 de outubro de 1988. 18 ed. atual e ampl. São Paulo: Saraiva, 2014.

_________. Tribunal Superior Eleitoral. Recurso Especial Eleitoral nº 126-37.2015.6.21.0000, do Estado do Rio Grande do Sul. Dispo-nível em: <http://www.migalhas.com.br/arquivos/2016/9/art20160923-10.pdf>. Acesso em: 20 set 2016.

________ Superior Tribunal Eleitoral. Há 80 anos as mulheres conquistaram o direito de votar e ser votadas. Disponível: http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2013/Marco/ha-80-anos-mulheres-conquistaram-o-direito-de-votar-e-ser-votadas>. Acesso em: 17 set 2016.

________ Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstituci-onalidade número 4277/DF.

BULOS, U. L. Constituição Federal anotada. São Paulo: Saraiva, 2002.

CALIL, L. E. S. Direito do trabalho da mulher: ontem e hoje. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, X, n. 40, abr 2007. Disponível em: <https://goo.gl/1erHqP>. Acesso em set 2016.

COSTA, F. N. Manual do Juiz do Trabalho. Salvador: Bahia, 2013.

FARIAS, E. P. de. Colisão de Direitos. A honra, a intimidade, a vida privada e a imagem versus a liberdade de expressão e in-formação. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris Editor, 1996.

FUCHINA, R.; LUZ, A. F. da. A evolução Histórica dos Direitos da Mulher Sob a Ótica do Direito do Trabalho. Anais... do II Seminário Nacional de Ciência Política da UFRGS, 2009. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/nucleomulher/arquivos/artigoalex.pdf>. Acesso em 23 set 2016.

HESSE, K. Significado dos Direitos Humanos Fundamentais. In: ALMEIDA, Carlos dos Santos; MENDES, Gilmar Ferreira; COELHO, Inocêncio Mártires. Temas Fundamentais do Direito Constitucio-nal. São Paulo: Saraiva, 2009.

LASSALE, F. O Que é Uma Constituição? 4. ed. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 1998.

LENZA, P. Direito Constitucional Esquematizado. 18 ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

MONTEIRO, R. C. de A. Direitos Fundamentais Sociais: o desafio da efetividade e a instrumentalidade da ADPF. Curitiba: Juruá, 2013.

MORAES, A. de. Direito constitucional. São Paulo: Atlas, 2002.

NERY JÚNIOR, N. Princípios do processo civil à luz da Consti-tuição Federal. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.

OBSERVATÓRIO BRASIL DA IGUALDADE DE GÊNERO. Homens Recebem Salários 30% Maiores Que As Mulheres No Brasil. Dispo-nível em: https://goo.gl/Faj9fVAcesso em 14 mar. 2017.

PIOVESAN, F. Direitos humanos e o princípio da dignidade hu-mana. Revista do Advogado, São Paulo, Ano XXIII, no 70, julho de 2003, p. 34-42.

PORTO, W. C. Dicionário do voto. Brasília: UnB, 2000. p. 427-436.

RAWLS, J. Liberalismo Político. Trad. Sergio René Madero Báez. México: Fondo de Cultura Económica, 1992.

SARLET, I. W. (Org.) As dimensões da dignidade da pessoa huma-na: construindo uma compreensão jurídico-constitucional necessária e possível: ensaios de Filosofia do Direito e Direito Constitucional. Revista Brasileira de Direito Constitucional RBDC, São Paulo, n. 09, p. 371, jan. /jun. 2007.

SILVA, G. C. C. da et al . A mulher e sua posição na sociedade: da antiguidade aos dias atuais. Rev. SBPH, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 65-76, dez. 2005. Disponível em: https://goo.gl/4ByZgY. Acesso em 17 set. 2016.

SILVA, J. A. Poder constituinte e poder popular: estudos sobre a constituição. São Paulo: Malheiros, 2000.

SILVA, M. B. N. da. Transmissão, conservação e fusão cultural no Rio de Janeiro (1808-1821). Revista de História da USP, vol. XLVII, n.97, jan./ mar. 1974. pp.154-159

YANOULAS, S. C. Seminário Internacional GRPE 2006 OIT/Brasil: Mesa Diversidade Texto Silvia C.Yannoulas Brasília, 28 de junho de 2006.

Publicado
2017-12-20
Como Citar
MACHADO, V. B., & BARELLI, E. de F. (2017). O fortalecimento da igualdade de gênero no ambiente de trabalho: um diálogo entre o estado democrático de direito e os direitos humanos. Revista Eletrônica Científica Da UERGS , 3(3), 472-494. https://doi.org/10.21674/2448-0479.33.472-494
Seção
ARTIGOS INÉDITOS